25 de nov de 2010

Belo texto por George Carlin

Essa semana recebi um texto que me fez refletir muito e por isso vou compartilha-lo com vocês. Boa leitura.

O Paradoxo do Nosso Tempo

"Nós bebemos demais, fumamos demais, gastamos sem critérios, dirigimos rápido demais, ficamos acordados até muito mais tarde, acordamos muito cansados, lemos muito pouco, assistimos TV demais e rezamos raramente.
Multiplicamos nossos bens, mas reduzimos nossos valores. Nós falamos demais, amamos raramente, odiamos frequentemente. Aprendemos a sobreviver, mas não a viver; adicionamos anos à nossa vida e não vida aos nossos anos.
Fomos e voltamos à Lua, mas temos dificuldade em cruzar a rua e encontrar um novo vizinho. Conquistamos o espaço, mas não o nosso próprio.
Fizemos muitas coisas maiores, mas pouquíssimas melhores
impamos o ar, mas poluímos a alma; dominamos o átomo, mas não nosso preconceito; escrevemos mais, mas aprendemos menos; planejamos mais, mas realizamos menos.
Aprendemos a nos apressar e não, a esperar.
Construimos mais computadores para armazenar mais informação, produzir mais cópias do que nunca, mas nos comunicamos menos.
Estamos na era do 'fast-food' e da digestão lenta; do homem grande de caráter pequeno; lucros acentuados e relações vazias.
Essa é a era de dois empregos, vários divórcios, casas chiques e lares despedaçados.
Essa é a era das viagens rápidas, fraldas e moral descartáveis, das rapidinhas, dos cérebros ocos e das pílulas "mágicas".
Um momento de muita coisa na vitrine e muito pouco na dispensa.
Uma era que leva essa carta a você, e uma era que te permite dividir essa reflexão ou simplesmente clicar 'delete'.
Lembre-se de passar tempo com as pessoas que ama, pois elas não estarão por aqui para sempre. Por isso, valorize o que você tem e as pessoas que estão ao seu lado."

3 de nov de 2010

Exposição Jean Michel Fauquet (Base submarina de Bordeaux)

Esse fim de semana fui à uma exposição sensacional num lugar extraordinario.

A base submarina de Bordeaux é um impressionante vestigio da Segunda Guerra Mundial, ela foi construida de 1941 à 1943 para abrigar a frota de 12 submarinos da Marinha Alemã. hoje, dos 42000m² deste imponente edificio, 12000m² estão aberto ao publico.
Neste momento a Base Sous Marine acolhe a exposição: Images Telluriques do fotografo Jean Michel Fauquet.
Fauquet nasceu em Junho de 1950 em Lourdes, mas passou sua infância aqui em Bordeaux, suas fotos tem algo de misterioso e enigmatico, dentro da Base submarina o acordo entre o trabalho do artista e o local é perfeito. As fotos são desconcertantes, ficamos na duvida se é uma foto ou um desenho. Temos a sensação de mistério, de traços que não podemos ver, paisagens pela qual nunca passamos e portanto a impressão é de que conhecemos aquele lugar. 
Seu trabalho é essencialmente realizado num atelier à partir de temas que ele mesmo cria. Desenhos, pinturas, esculturas, são algumas das etapas que contribuem à fabricação de objetos que são pintados e depois fotografados. Mais tarde, sob a luz do atelier ele prepara todo um cenario para fotografar esses objetos. Ele revela as fotos em preto e  branco, com uma claridade no centro que some bem sutilmente. O negativo pode ser retocado, realçado com a caneta ou com o lapis, até mesmo pintado para ficar ainda mais escuro.

Para aqueles que se interessaram, a exposição vai até o dia 5 de dezembro. Base Sous-marine - Boulevard Alfred Daney 33300 Bordeaux